Boas Festas

Posted: 24 de dezembro de 2010 by O Boss in
0

A todos os nossos amigos, um Natal cheio de Paz e que as musas nos favoreçam no próximo ano Novo...

Bom Teatro e Allegria

Grupo? O que é um "grupo"?

Posted: 24 de outubro de 2010 by O Boss in
2

Na 6ª feira passada veio este assunto à baila... 


O que fazer (e como o fazer) quando se juntam 23 pessoas, unidas no objectivo de voar no espaço do teatro, mas com motivações, personalidades, vidas e desejos, por vezes, muito diferentes?


Aparentemente, e apenas aparentemente, a resposta é simples. Não me considero nenhum perito nesta matéria, mas sugiro a seguinte "check list":


- Existe a paixão, ou no mínimo, a vontade de fazer teatro?
- Estou disponível para me dar a conhecer aos outros, sem me refugiar na péssima desculpa, normalmente egoísta, de que não sou obrigado a partilhar nada com eles?
- Estou disponível para ouvir, ver e perceber os outros como pessoas que têm o mesmo direito que eu a afirmarem-se?
- Estou disposto a aproveitar todos aqueles breves momentos para comunicar com eles?
- Estou preparado para assumir as minhas responsabilidades perante eles e ser verdadeiramente solidário com eles?


A verdadeira magia do teatro não está no estrelato, no egoísmo nem no somatório estéril de diferentes personalidades... que, por acaso partilham o palco numa peça (por muita qualidade que tenham os actores e por muito bem que representem essa aparente coesão).


A verdadeira magia surge quando aproveitamos esta vontade de fazer teatro para a transformar numa paixão partilhada com outros e, ao partilharmos o mesmo palco, nos assumimos conscientemente como um "grupo" (gosto mais da palavra núcleo)!


Mas esta magia, contrariamente à metáfora da máscara, só surge quando nós próprios a retiramos e mostramos a nossa face verdadeira, sem receios, reservas ou preconceitos: é a nossa oportunidade de enfrentar os nossos medos, as nossas limitações, as nossas incertezas e inseguranças e aprender a ultrapassá-las.


Esta magia descobre-se nos outros, quando todos assumimos a tremenda responsabilidade de ouvir o que o nosso companheiro tem para dizer, estar atento à sua presença, vê-lo e aceitá-lo como ele realmente é.


Não precisamos de ser os melhores amigos, mas temos de nos assegurar que todos sentimos a confiança necessária em nós mesmos e no outro, para que nos possamos exprimir livremente, sem o receio de sermos ignorados, desconsiderados, incompreendidos ou, pior ainda, recusados.


Mas fica a pergunta: o que aconteceria se a peça fosse interpretada por mim, juntamente com os meus melhores amigos? Pura magia?


No ano passado, no final da peça "Apocalipse", a melhor crítica, aquela que me fez sentir que, afinal de contas, tudo isto vale a pena, foi aquela afirmação "parabéns, conseguiste formar um grupo".


É possível, se todos o quisermos, se fizermos por ser melhores pessoas, se assumirmos as nossas responsabilidades, se formos solidários e se estivermos atentos e trabalharmos em conjunto: sem pressa, sem forçar, mas conscientes de que muito depende de nós próprios e de aproveitarmos as oportunidades para dar, aos que estão à nossa volta, uma razão de existir, de trabalhar com eles, de sonhar com eles, de assumir esse compromisso connosco e com eles. 
A nossa peça, este ano, é sobre isto mesmo: ignorar o outro, é matar o outro.


O meu apocalipse para este ano é conseguir, de novo, ter um núcleo, um grupo de pessoas que, através do teatro, se transformam em actores conscientes no palco das suas vidas, em cidadãos solidários na sociedade em que se inserem, e em público crítico da desumanidade. 


Vamos fazer magia! 
Allegria!

De volta...

Posted: 7 de outubro de 2010 by O Boss in
0

Olá a todos!


Há meses assim: por muito que queiramos manter estas coisas actualizadas, temos que respeitar algumas prioridades - escola, família, rotinas, deveres, trabalhos, horários, etc. - às vezes, mas nem sempre, por esta ordem.


E após semanas sem nada publicar, obriguei-me a fazer uma síntese do que entretanto se passou. 


Vamos aos números, em primeiro lugar; lembram-se dos 15 que terminaram o curso? Pois é, agora são 24 e, quase semanalmente, falam comigo para indagar "se ainda se podem inscrever...!"


Racionalmente, apetece-me dizer que não, porque o trabalho já se encontra numa fase muito adiantada, as personagens já estão distribuídas, há pouco tempo para fazer um trabalho progressivo de integração no grupo e evitar constrangimentos e isolamentos, entre outros argumentos.
Sentimentalmente, lá me deixo levar pelos seus olhares tristonhos e, invariavelmente, acabo sempre a dizer "Pronto, aparece no G1 às 20h30 e logo se vê..." e ser, por isso, recompensado com os brilhozinhos dos seus olhos.


(Conscientemente, sinto-me feliz por dar a oportunidade a mais uma pessoa de viver a experiência do teatro.)


Depois, claro, fazem aquela expressão de espanto do género "o que é isto?!", algo que me encanta, particularmente, e não lhes deixo outra opção que não seja entrar no Jogo, sem reservas, mas um pouco à bruta.


Depois, claro, deixam-me com um outro problema por resolver: redistribuir as partes do texto que ainda podem ser redistribuídas, o que, por vezes, não é tarefa fácil e obriga a autênticos exercícios de contorcionismo dramatúrgico.


E finalmente, claro, ao verem as cenas que estão já, mais ou menos, preparadas, sem ter passado pela etapa da discussão do texto, das características das personagens, da contextualização da peça ou da preparação prévia com improvisações e exercícios mais técnicos, a coisa pode complicar quando todos temos que lidar com tudo isto ao mesmo tempo.


Mas, enfim, isto também é teatro...


Neste momento estamos a explorar as cenas, sequencialmente, mais para fixar texto e experimentar diversas soluções de encenação do que fazer trabalho de detalhe... fica para depois! Além disso, estou à espera que as coisas acalmem e o elenco, ele próprio, estabilize.
Estou igualmente à espera que estejam todos presentes para tirar a tal foto de grupo... até lá, contentem-se com estas.



estudo do texto para uma improvisação (nas novas instalações)


Pronto, agora que já escrevi qualquer coisa, vou começar a pensar em actualizar o site, que também já tem teias...


Ah, a propósito, e especialmente para os nosso leitores e amigos que nos acompanham por fora, o nome da nossa peça é "Pum! 'Tás Morto!" O resto fica, por agora, a cargo da vossa imaginação, até a cortina abrir.





explorando uma cena


Até ao próximo post... Allegria!

Testemunhos

Posted: by O Boss in
0

Não há uma sem duas publicações seguidas, talvez para compensar a sua falta durante tanto tempo.


Fica aqui o convite para passarem pelo separador (bizarro e enganador nome) "Testemunhos dos Devisa".


Foi uma promessa feita aqui há tempos ao Pedro Galiza e que agora cumpro! E lanço daqui o desafio a todos os que passaram por este palco a dar o seu contributo, deixar o seu comentário ou, simplesmente, o seu contacto.


Allegria!

Cá vamos nós...

Posted: 28 de agosto de 2010 by O Boss in
7

A todos os Devisas:


Vejam o vosso mail... Data marcada para a distribuição e leitura do guião!

Workshop - Sessão Final

Posted: 26 de junho de 2010 by O Boss in
9

15! Quinze resistentes (entre os quais o lesionado)!


E pronto, acabou... por agora. Feita a apresentação final, ficaram os comentários dos participantes sobre a sua experiência, as suas impressões sobre o workshop, sobre o grupo.


Sobre o grupo: concordo que não é ainda um "grupo", não é possível formar um grupo em 6 sessões de poucas horas, a trabalhar de forma mais individual que colectiva, com pessoas a entrar, a sair, a faltar... mas o que importa, não é o caminho que já se fez mas o que ainda se vai percorrer, quando todos tiverem de se comprometer com o nosso projecto comum. Ficou, também, o início de novos conhecimentos e relações de amizade que cada um, agora, irá aprofundar à sua maneira.


Alguém disse que esperava mais em termos individuais: Concordo! Até de mim próprio. Falando por mim, sinto-me um cansado depois de um ano extenuante em que as férias não passaram de mais uma etapa de trabalho para honrar os meus compromissos (quem se esqueceu dos ensaios nas férias da Páscoa?) E estamos, nesta altura, todos, a precisar de arejar a cabeça, descansar, ir para férias. Positiva foi esta reflexão e a confiança de que todos poderemos fazer mais e melhor... a partir de Setembro.


Os estreantes, cada um a seu modo, gostaram de experimentar esta coisa de "fazer teatro": apareceram com as mais diversas motivações, e cada um deles procurou encontrar aqui respostas.  Alguns  não viram qualquer razão para continuar e foram procurá-las noutro lado; os que ficaram, duvido muito que as tenham encontrado, mas ficou o prazer da procura, e a adrenalina de andar à descoberta de algo que nos faz sentir mais vivos.  
Ficamos com 2 meses à nossa frente para reflectir sobre os momentos vividos e as expectativas geradas.


Da minha parte, aprendi a respeitá-los, a descobrir e reconhecer neles capacidades e qualidades, a conhecê-los melhor e, porque já os conheço um pouco, confio em todos eles para construir o nosso projecto. Conto com eles e eles sabem que podem contar comigo. Para eles, o meu aplauso.






Finalmente, Rita, bem-haja por aquecimentos... inesquecíveis! Beijo.


Para todos, boas férias e... tudo o mais. 

Workshop - Sessão 3

Posted: 19 de junho de 2010 by O Boss in
10

Sem mais comentários... 17!


Acrescenta-se mais 1 lesionado e outro atrasado que, como já tinha dito antes do workshop começar, não entrou no jogo.


E que jogo foi! A Rita estava particularmente inspirada quando orientou o aquecimento; fiquei com a certeza que, se estes candidatos a actores ainda não tinham descoberto onde fica o diafragma e os músculos abdominais que contribuem para que o texto seja entendido pela nossa vizinha octogenária, com problemas de audição e que se sentou na última fila, nunca mais os vão descobrir. "Chuac!"


Passámos, depois, ao trabalho de exploração individual: hum, não sei, há algo que não está certo; se pensava que tinha já conseguido que todos conseguissem encarar os exercícios como preparação para o trabalho que se seguiria... qualquer coisa falhou. E quanto mais penso nisso, mais certezas tenho de que, num grupo, não pode pode haver pessoas que trabalham a ritmos diferentes. Notou-se o à-vontade com que alguns pegaram nos exercícios que foram trabalhados na sessão anterior - porque estiveram lá, e os outros - os que não estiveram; depois houve mais qualquer coisa: falta de concentração, que aliada à  falha de trabalho de texto, resultou na falha de aplicação de técnicas já experimentadas e, sobretudo, falta de confiança: "se não acreditarmos no que estamos a fazer, como poderemos aspirar a que o público acredite em nós?" (esta é uma das minhas devisas)


Foram espairecer um pouco e voltámos com esperanças renovadas: notou-se, no primeiro exercício alguma pressa, imprecisão, ausência de sentido teatral - afinal de contas, tudo o que fazemos em palco tem de ser claramente lido pelas audiência e o ritmo das acções é essencial.
Segundo exercício: caramba, tão depressa fazem uma coisa sem jeito nenhum, como agem de forma surpreendentemente boa (qualitativamente) a um exercício que nunca tinham feito. O meu objectivo, sei-o agora, é fazer com que todo o grupo (mesmo que mais reduzido) trabalhe sempre em conjunto.




Improvisação: frases, risos, porquês. Sequência, justificação conclusão: tempo para limar algumas das muitas arestas que, naturalmente, numa fase inicial do processo, ainda pecam pelo exagero, ideias feitas e clichés, pelo entusiasmo, pelo desconhecimento do contexto da peça e pela pouca experiência. Porque quando conhecerem o texto, controlarem os exageros e vícios de representação, tentarem viver e acreditar na sua iniciativa, perspectiva pessoal e criatividade própria, controlarem melhor as suas reacções sem interferir com a sua sensibilidade e dominarem alguns aspectos técnicos fundamentais, o resultado pode ser... ainda mais surpreendente.


A experiência? Ah, esqueci-me: é uma coisa que se adquirir também de forma natural proporcionando oportunidades aos que querem experimentar e aos que crescem com as suas vivências.




Grupo 1: catarina, bernardo, ana isabel, gabriela, daniela, tiago l., cláudia, joão e rita






Grupo 2: luísa, bá, tiago q., ana filipa, tânia, mariana, zé miguel e tomás.




Finalmente, a avaliação com o compromisso de conseguir algo mais quando nos reencontrarmos. Mais desafios nos esperam na próxima sessão... 





Comentem...

Workshop - Sessão 2

Posted: 12 de junho de 2010 by O Boss in
3

Ah-ah! De 26, passaram para 19!


Claro que aqui não incluo aqueles que foram fazer um teste, ou trabalhar, ou simplesmente não lhes apeteceu vir. Foi pena porque me diverti com eles... e eles também.


Vamos ao início; com a Rita a encenar a peça no Porto, tinha deixado "ordens" explícitas para eles mesmos conduzirem o aquecimento (sim, Rita fizeram-no).


Fizeram-no tão depressa que terminaram quase 10 minutos mais cedo e fresquinhos como alfaces acabadas de colher numa bela manhã de orvalho subtil. Tão subtil como a intensidade do aquecimento. Tão subtil que tive, claro, de inventar qualquer coisa: genial, substituir o "olá prancha!" por "eu adoro o boss!" durante os 10 segundos mais longos da vida deles... para compensar os tais 10 minutos que faltavam.


Depois da transpiração, mais respiração, mais voz, mais texto (como é possível aqueles "cromos" não conseguirem memorizar 12 míseras frases?), mais corpo, mais relaxamento, mais movimento, mais ritmo... mais!


Mas a grande lição foi, penso ter deixado isso bem explícito, foi que o empenho e a concentração com que os exercícios são feitos, são essenciais.


Para tal, temos que lavar a alma e o espírito que retire toda a poeira que impeça o brilho da representação; foi a primeira surpresa. A segunda, a interacção entre eles; adivinha-se a criação de um novo núcleo, alargado, de Devisas.


Finalmente, a surpresa final: a diversão na apresentação do exercício final (e que as fotos podem demonstrar).


Nota final: alguém me perguntava no final se era possível vencer o receio, a timidez, o medo. A resposta é, mais do confiar em mim, porque não confiar um pouco mais em vocês? Eu acredito! Vocês não?
Aos que não apareceram, tudo de bom para vós. Para os que  ficaram... o bom não chega! Por isso...


Até à próxima sessão, altura em que perguntaremos mais alguns porquês e procuraremos as respostas.


cláudia, bernardo, joão, rita, ana e inês


luísa, armando, bá, mara, filipa e gabriela


catarina, ana, tiago, francisco, mariana, flora e tânia

Workshop - Sessão 1

Posted: 7 de junho de 2010 by O Boss in
2

Ora bem! 1º dia a sério...

Quando cheguei a G1, já estava a Rita a contorcer, retorcer, esticar, ginasticar e  agilizar os corpos dos que já lá estavam presentes. E eram muitos... (É claro que, depois, outros chegaram.... cada um com a sua desculpa... mas com as palavras “CULPADO/A! DESCULPEM!” escritas na testa com um tipex bem vermelho.... e com a vontade de, já na próxima 6ª, não chegarem atrasados/as).

Continuando. Depois de a Rita ter exemplificado onde estão os músculos que mais falta nos fazem (ou seja, todos) e quais as sua funções, entrei eu em acção mas, logo aí, senti que faltava qualquer coisa. Pensei para comigo: “Dava 3 euros para os ver bem cansadinhos!” Foi um bom investimento porque, não só recuperei os 3 euritos, como também os cansei, para além de ter tido o lucro de ouvir de todos eles frases maravilhosas de encher o ego (o meu) do género “eu adoro o Boss!” Simplesmente delicioso.... e reconfortante.

Claro que aproveitei todo aquele cansaço para falar sobre outros aspectos técnicos: respiração, diafragma, músculos abdominais, projecção da voz; TPC: conseguir levantar alguém (ou qualquer coisa) com a barriga!!!!!

Já que estamos com a voz, vamos ao texto. Com marcações. Com a utilização do corpo. Com expressividade. Com um intervalozito, porque estão a precisar de apanhar ar....

Voltámos ao mesmo após o intervalo, desta vez tentando polir os diamantes que se encontram por ali escondidos.
Pode ser que em grupo aquilo dê um “clic!”
Sim, porque não! Improv Time!

3 grupos, 3 fases: selecciona texto,  ensaia texto, faz o texto! 15 minutos.






Ah-ah! Percebi! Muita vontade (o trabalho ficou feito), muita energia (a precisar de algum controlo), muitas ideias a precisar de exercícios mais técnicos e de muita direcção.

Relaxamento e memória: O que é um actor e como o distinguimos de um farsante! Sugestões práticas! Ciau, até à próxima 6ª e não se esqueçam de levantar alguém (ou qualquer coisa) com a barriga!!!!!
Depois vejam e comentem a sessão no blog... 

(acho que esta parte já ninguém ouviu, mas a sério que gostava que dissessem alguma coisa sobre as suas experiências)

Dos 26 que vieram à apresentação hoje vieram 24.... veremos quem são os heróis resistentes.


Plano Ler+Teatro

Posted: 29 de maio de 2010 by O Boss in
0

Recebi um mail da Drª Lúcia Correia que esteve presente na sessão de abertura da X Mostra e, com lincença dela, aqui transcrevo porque interessa a todos os que andam em teatro escolar e não só.

Incluí o link directo para o site num novo separador (lado direito do blog) intitulado "Vale a pena Visitar".



Caro Jorge
Envio-te o site Ler+ teatro, agora colocado online na plataforma PNL.

No Teatro Escolar vem divulgada a vossa mostra e no clube está incluído o vosso clube - Devisa.

O site tem imensos conteúdos e apela à participação em alguns itens.

Tenta abranger o básico e o secundário.

Peço-te que me indiques outras actividades vossas ou de outros Grupos que conheças para divulgação!

Na entrada Bar está a ensaiadora do teatro virtual com um endereço no facebook. Precisamos de amigos para falarem sobre teatro. La Fúria da Net convida–vos para falar de teatro das actividades, das mostras, etc.

Sessão de Apresentação

Posted: by O Boss in
5

Estava habituado, nos últimos anos de Devisa, a trabalhar com pouca gente e confesso que ter 30 inscrições num só ano excededeu todas as minhas expectativas. Será que apareceriam todos?

Vieram 26!!! Ena! E senti um arrepiozinho dos bons... Se vieram é porque querem mesmo, mas... vamos lá "esmiuçar" um pouco melhor as motivações:

- experimentar algo novo...
- conhecer novos amigos...
- fazer coisas divertidas e interessantes...
- curiosidade...
- já fiz e gostei...
- nunca fiz e gostaria de tentar...
- porque já é vício...
- vim com amigos...

Mas houve, também, outras justificações que são autênticas pérolas:
- hoje olhei-me ao espelho e decidi que sim...
- quero ter melhores notas na oralidade...
- quanto maior o sofrimento, maior é a glória...
- quero soltar a "franga" (?!#&*)...

Sinceramente, não me consigo lembrar de melhores motivos para fazer teatro, logo eu que não consigo viver sem isto.

Pequena (grande) palestra: objectivos, exigências, regras... gostei especialmente de ver as caras deles naquela parte em que lhes disse "um dos meus objectivos é fazer com a maior parte de vocês desistam para ficar com os melhores!", pausa dramática, "e o vosso objectivo é não desistir e provar que são os melhores!"

Segue-se um pequeno jogo: entrar em palco, dizer uma palavra, sair do palco.
Já é teatro? Ainda não! Há actores, há texto, há marcações... falta o mais importante: a alma na personagem, a vida no texto, a emoção na voz e nas palavras do actor, a técnica necessária para saber como isso se faz.

Finalmente, um jogo em conjunto onde puderam experimentar o que tínhamos estado a falar. Começou a diversão.

Perguntei, no fim da sessão, quem vai desistir: "Ninguém!"
Tenho confiança neles. Temos Devisa para o ano! Objectivo atingido.

Sejam muito bem-vindos ao Teatro.

Apresentação do Workshop

Posted: 27 de maio de 2010 by O Boss in
3

- Ora bem!
- Vamos a isto!


- Dia: 28 de Maio. 20h30. Porta da Escola
- Nº de Inscrições (contando com os 12 de "passaram de ano"): 30!


- Será que vão aparecer TODOS??
- Ahhh, não sei. Talvez alguns lhes falte a coragem, outros fiquem mal-dispostos com os nervos e outros, afinal, pensaram melhor e se tivessem a ficha de inscrição de volta, te-la-iam desfeito em pedacinhos tão minúsculos que nem passaria por lixo.


- E... será que vão aparecer a horas?
- Ah, claro! A porta do Ginásio 1 vai ser fechada, pontualmente, às 21h00m01s. A partir daí, é o degredo para quem  vier atrasado. Os bons hábitos adquirem-se logo de início.


- Um pouquinho rigoroso... não!
- Não. É teatro! Quando alguém chega atrasado a um espectáculo, interrompe os actores, o público, o trabalho, a concentração... se não conseguem estar a horas, fiquem a ver telenovelas.


- E será que virão preparados para trabalhar em oficina?
- Digamos que se aparecer alguém vestidinho e calçadinho para ir à Disco depois do teatro, não só vai ficar muito desconfortável, como também vai perder a compostura e ter de ir a casa trocar de roupa e retocar a maquilhagem para poder passar pelo segurança que está à porta.


- Levarão água?
- Se levarem cerveja... não entram.


- E gostarão do workshop?
- É a sessão de Apresentação. A sessão zero do workshop. Vamos conhecer toda gente, vamos falar um pouco sobre como vai decorrer a oficina e depois vamos "jogar" aos actores e fazer algumas experiências com... depois se verá.


- Ansioso?
- Talvez menos do que eles e talvez mais do que o costume. Afinal, vou conhecer o Teatro Devisa do próximo ano lectivo.


- E eles?
- Eles podem depois fazer um comentário neste blog.

Duração do Workshop

Posted: 20 de maio de 2010 by O Boss in
1

Numa 1ª fase, o workshop irá decorrer todas as 6as-feiras (início no dia 4 de Junho), entre as 21h e as 23h45, no Gin.1, até ao final de todas as aulas. A partir daí, começa a 2ª fase durante a qual vamos combinando em conjunto as datas e horas das sessões seguintes, fazendo os possíveis para que todos possam estar presentes. No caso de alguém não poder (ou querer) estar disponível, as sessões vão realizar-se na data e no horário em que houver mais gente a participar. Nesta fase, o trabalho irá prolongar-se até que nós o queiramos mas... terminará, no máximo, a 16 de Julho. 

Novas Inscrições e Workshop de Teatro

Posted: 18 de maio de 2010 by O Boss in
7

E pronto... acabou-se uma temporada, está na altura de preparar a próxima. Estão oficialmente abertas as 


Inscrições no Teatro Devisa para o ano lectivo 2010/2011.


Os interessados podem preencher (com letra legível) a ficha disponível na Biblioteca da Escola e serão contactados logo que a entreguem.
Outras possibilidades: podem inscreverem-se a partir deste Blog (através de um "Comentário" a esta mensagem), enviar um mail para devisa.teatro@gmail.com, ou aceder ao Site do Teatro Devisa (basta clicar no logotipo acima e depois abrir a página "Contacto"); apenas terão de deixar o vosso nome, ano, turma, telemóvel e endereço electrónico.


Dia 4 de  Junho, terá início um Workshop de Teatro destinado à preparação da peça que irá ser apresentada no próximo ano. Portanto, não se distraiam... 


e encontramo-nos no palco!

As Fotos do Jantar

Posted: 12 de maio de 2010 by O Boss in
0

O desafio foi fazer uma jantarada dos Devisa (incluindo traje de gala...) !?
O resultado pede ser consultado em:

http://picasaweb.google.pt/109499734255001985619/JantarDevisa?feat=directlink

Esperam-se comentários...

Apocalipse - Final

Posted: 4 de maio de 2010 by O Boss in
2



E depois de termos sido tão bem recebidos em Arzua, é a nossa vez de retribuir... com um outro aliciante: 
vamos repor a peça no dia 17 de Maio, aproveitando não apenas a visita dos nossos amigos galegos, mas também a comemoração do dia da ES Rocha Peixoto e os nossos 10 anos.


No Auditório da Rocha, pelas 22h00

Intercâmbio com o IES de Arzua

Posted: 1 de maio de 2010 by O Boss in
1

O melhor será publicar o que os outros disseram de nós; recebi este mail do Brais, o encenador do Teatro Escolar de Arzua e não resisto a publicá-lo (mesmo sem a sua autorização).




Jorge chegou a Arzúa e viron as instalacións do Instituto e xogaron desportos e log de xantar se xuntaron Brais e Cesáreo coa chave, e Arzúa abaixo, de leste a oeste, coma peregrinos, acolléronse os DEVISA da Póvoa na Casa da Cultura.

A “Apocalipse” estreada na Póvoa de Varzim tiña un espazo escénico de 20 metros de ancho e duración de 1 hora. Para a nosa caixiña de 5m, Jorge adapta unha “Apocalipsiña” de 30 minutos cun eficaz xogo de luces (que substitúe as diferentes alturas e tarimas da peza orixinal).

Ás 4 entraron os DEVISA, instalaron e fixeron pase de luces, ás 5 e media chegaron os da ÁNXEL CASAL e fixeron por primeira vez na súa historia un ensaio para un técnico de luces. Ás 6 e media a terceira idade arzuá abría a porta da Sala reclamando asento. Ás 7 menos cuarto a Coral con madeira e vento iniciaba o festival, cunha viaxe polo repertorio coral galego e visita ao portugués. Logo dunha pausa para ir ao baño, unha historia do pai do teatro portugués, Gil Vicente, traída ao día de hoxe polos alumnos da Escola “Rocha Peixoto” da Póvoa de Varzim.

Sen máis dilación, logo dos alumnos saltaron ao palco os profesores, cunha sorprendente coral que deixou a sala chea de alegres cucarachas. E acto seguido “Portugaliça?” a historia de Galicia e Portugal, creación colectiva da rapazada da Aula de Teatro Municipal de Arzúa, estreada o Catorce de Abril na X Mostra de Teatro da Póvoa de Varzim.

Logo de música galega e de teatro en portugués e de música portuguesa e de teatro en galego... como rematar esta festa?
Pois com alegria sim, nom com tristeça: con quen fixo xa música en Portugal, vive en Arzúa e naceu en Angola: Alberto Mvundi.
(Segunda pausa para ir ao baño, entre tanto a familia Mvundi se apousenta no escenario.

Carlos xoga coas luces, Alberto súa, Marga fai as segundas voces e Gael no medio do escenario leva o ritmo e colleita a meirande ovación da xornada. A sala canta. A rapazada baila. Aleghría! É primavera en Arzúa.
Non sendo a Ghrila, que lle casa o fillo, a plana maior das Nenas Grandes de Arzúa estaba na platea con non poucas amigas, mestres e alumnos do IES de Arzúa e da “Rocha Peixoto” e de Música da Casa da Cultura.

O 29 de Abril do 010


A todos e todas cantos dalgún xeito estiveron aí...
        dúas mil graciñas
               foi muito fixe!
                      e foi algo que creamos entre tod@s

         (sexa transmitido este agradecemento a todos cant@s o merecen!


--
Brais Falcón Xanbobela

Fotos do Devisa

Posted: 25 de abril de 2010 by O Boss in
0

Fotos do Mapadi

Posted: by O Boss in
0


As fotos do trabalho realizado pelo Mapadi.
Espectáculo apresentado em 16 de Abril no Auditório Municipal.

Fotos do 7x2

Posted: by O Boss in
0


As fotos de Pecados (I)mortais (texto original).
Encenação da Laura. 
Espectáculo apresentado em 15 de Abril no Auditório Municipal.
em:

Fotos do CAP e Gaterc

Posted: by O Boss in
0



As fotos de Discursos do Papalagui (de Tuiavii).
Encenação do Nuno e do Jorge. 
Espectáculo apresentado em 15 de Abril no Auditório Municipal.
em:




http://picasaweb.google.com/109499734255001985619/Cap_gaterc?feat=directlink

Fotos do Gatapum

Posted: by O Boss in
0





As fotos de D. Rosinha, a Solteira ou A Linguagem das Flores (de Garcia Lorca).
Encenação do Carlos e da Teresa. 
Espectáculo apresentado em 14 de Abril no Auditório Municipal.

Fotos do IES Arzúa

Posted: 24 de abril de 2010 by O Boss in
1


As fotos de Portugaliza? (a partir de um texto original).
Encenação do Brais e da Sabela. 
Espectáculo apresentado em 14 de Abril no Auditório Municipal.
em:



http://picasaweb.google.com/109499734255001985619/Arzua?feat=directlink

Fotos do Improviso

Posted: by O Boss in
0


As fotos de Amor@etc.com (a partir de um texto original).
Encenação da Teresa & Teresa. 
Espectáculo apresentado em 13 de Abril no Auditório Municipal.
em:



http://picasaweb.google.com/109499734255001985619/Improviso?feat=directlink